Já não é de hoje que ensaio meu retorno para esta página – na verdade, somente a retomada das minhas publicações, pois sempre estive por aqui de algum modo – e talvez hoje seja o tempo para isso.

A verdade é que já não me não recordo da última vez em que escrevi por aqui, nem quanto tempo faz desde a última vez eu estive por aqui, dividindo com você um pouco do que eu penso sobre todo este universo da espiritualidade.

Nos últimos tempos, tenho somente revisitado textos antigos e, por muitas vezes, me surpreendido com o seu conteúdo, que apesar de eu ter escrito já há alguns anos, me parecem bem frescos na memória, como se eu os tivesse publicado ontem mesmo.

Apesar da marcha imparável do tempo, de algum modo, por aqui, o tempo parou. Tudo está como era, exceto pelas atualizações no visual que meu irmão Cleber fez por aqui e de seus novos textos, mas, fora isso, da minha parte, tudo está como eu deixei, mesmo que este tudo sequer exista no mundo “real”.

Contudo, o mundo e tudo aquilo que eu conhecia até então, mudou completamente nesse tempo fora, a ponto de que eu nem sequer consigo mais me imaginar vivenciando algumas das situações que eu vivia naquele tempo. Tudo mudou muito, eu junto.

Digo tudo isso apenas para refletir sobre os poderes do tempo e sobre a sua grandiosidade em nossas vidas, tempo este que é implacável, inafastável, que parece cruel, mas é tremendamente generoso.

O tempo tem seu tempo (tudo neste mundo, na verdade) e absolutamente tudo que vimos e vivemos em nossas muitas vidas tem o seu momento e o tempo se encarrega de delimitar estes ciclos, mesmo à nossa revelia. O tempo soa cruel em muitos momentos, mas ele é neutro, justo, imparcial, ele simplesmente flui e leva com ele o que precisa ser levado, o que findou, o que já passou.

E mesmo assim, o tempo é tremendamente generoso pois, se por um lado, tudo acontece, começa e acaba no seu tempo e sem que tenhamos qualquer ação sobre o seu curso, por outro lado, o tempo não é absoluto, pois ele se permite relativizar quando olhamos pra ele com a lente certa e quando o tocamos com a chave certa nas mãos. E temos, todos nós, em nossas mãos, estas ferramentas. A lente certa para se olhar o tempo é o amor, e a chave certa para se tocar o tempo é a fé.

O olhar amoroso sobre o tempo e a fé são as ferramentas para entende-lo e, mais do que isso, são as verdadeiras chaves dos portais do tempo, que nos permitem alterar o seu de tal forma até nos levar ao ponto de compreender que ele sequer existe, o que pode parecer contraditório, mas é grandioso.

O tempo sem o amor e a fé é somente o tempo, ele passa, faz o seu trabalho e tudo acaba, tudo se encerra, tudo se vai, mas o amor e a fé são capazes de parar o tempo, ou fazer ele retroceder, avançar, se acalmar ou até mesmo se abrir, e é por meio da fé o do amor que o tempo deixa de ser tempo e se transforma em eternidade.

Sem fé o tempo das coisas passa e tudo que fica é a sensação de que aquilo já não é mais seu, que o tempo daquilo passou, que você já não mais pertence àquela realidade; sem o amor, o que passou fica mais distante e parece inalcançável, mas a fé e o amor trazem tudo que se foi pra perto e fazem tudo anda ser possível, e isto é maravilhoso.

O olhar amoroso e com fé para o passado permite o resgate do tempo das coisas, tudo retorna de algum modo e a oportunidade se coloca novamente nas nossas mãos; não há tempo perdido, nem chance passada e muito menos o que não se possa recuperar, tudo está ao nosso alcance, basta usar a chave certa para se reconectar com aquele momento, com aquele sentimento, aquela força, aquele tempo.

Está tudo lá e aqui, agora e neste momento, acontecendo sem parar, como um grande carrossel do tempo, cheio de luzes e sons, onde tudo se movimenta muito rápido quando se olha pra fora, mas ali dentro, tudo está em paz e você está prestes a viver o melhor dia da sua vida, basta ter coragem pra embarcar com ele movimento, já que ele não para.

Eu daqui, vou me segurando nos estribos do tempo enquanto vejo o mundo girar.

1 comentário

  1. Bom dia.
    Estou bem feliz em ter encontrado estes teus escritos aqui. Soaram como bálsamo para minhas tão ignorantes ideias. Este artigo específico não o li por inteiro,tal foi minha pressa em agradece lo. ..lerei em tempo próximo.
    Que Luz da Umbanda ,e a Energia dos ORIXÁS continuem atuando em seu SER.
    Gratidão!!!✨

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *