Salve o ponto de Defumação!

“Defuma com as ervas da Jurema, defuma com arruda e guiné, Com alecrim, benjoim e alfazema, vamos defumar filhos de fé.”


Pisar num terreiro de umbanda é uma explosão de sentidos – os cinco do corpo e a todos da alma. São cores, sons, sabores e, quase sempre, um intenso arrepio. Mas sem sombra de dúvida, a primeira coisa que se leva no coração – e na roupa – é o perfume da defumação.

O cheiro do terreiro é algo que encanta a cada um  que entra, que participa de uma festa, de uma gira. A Umbanda é perfumada.

A defumação é um dos principais elementos preparatórios para as giras, sendo um poderoso agente de limpeza das energias contrárias e estagnadas no ambiente e nas pessoas, desfaz formas plasmadas e miasmas energéticos, sutiliza e dissolve diversos tipos de enfermidades nos corpos sutis e auxilia a serenar, acalmar e preparar corpo e alma para o trabalho que se segue, assentando no ambiente uma energia propícia.

Normalmente o turíbulo – ou incensário – é o meio utilizado para gerar a fumaça e dispersá-la no ambiente, onde são depositadas ervas e resinas para que sejam queimadas pelo carvão em brasa e liberem seus eflúvios benéficos no ar.

Podem ser utilizados defumadores ou até mesmo incensos em bastão, na falta de outros elementos ou, como é muito comum no Culto de Jurema, a utilização da fumaça de charutos e cachimbos para defumar as pessoas e o ambiente, mecanismo este utilizado frequentemente pelos Guias Espirituais nos trabalhos.

A defumação tradicional, com turíbulo, carvão em brava e ervas e resinas, trás em si diversos fundamentos.

Encontram-se os quatro elementos da natureza, dos três reinos, o que agrega um grande valor magístico ao ato.

Há o fogo do carvão em brasa, terra e água presentes nos elementos vegetais, pois fazem parte de sua composição e estão em sua essência e o ar, que é o grande veículo desta ferramenta.

O fogo, por si somente, é um poderosíssimo elemento de transformação e quando aliado às ervas e resinas – como o benjoim, o olíbano e a mirra – libera destes elementos todo o seu axé em seu máximo potencial e com um direcionamento, o que torna a defumação tão poderosa, pois toda e energia liberada nesta queima tem um proposito e um fim definido, e quando alguém defuma, o faz com a intenção de produzir um resultado, e o ciclo energético se fecha.

A defumação é ainda, do ponto de vista material, a primeira linha de defesa de todo terreiro, pois além de limpar-se o ambiente, são limpas as energias presentes nos corpos dos médiuns e de toda a assistência, de modo a proteger a todos e abrir caminho para a ação bendita de nossos Guias.

A fumaça consagrada perfuma o corpo, mas banha a alma, nos auxiliando a nos aproximarmos um pouco mais do sagrado e a encontrar, dentro de nós mesmos, a perfeita ligação com Deus e nossos Pais e Mães Orixás e a receber, de braços e coração aberto, o conselho benéfico, a mão amiga e, muitas vezes, o puxão de orelha de um Pai zeloso, que os amados Guias nos entregam, com tanto amor e dedicação.

“(… )A Umbanda cheira à rosa…”

E Salve o Ponto de Defumação!

Comentários

comentários

Você pode gostar...